Oi gente! Hoje é dia de resenha e das boas!



Título: A Eternidade Numa Hora
Autor: Rubem Alves
Editora: Planeta
Páginas: 
Gênero: Filosofia, bem-estar
Skoob


Três grandes obras de Rubem Alves reunidas em um só volume Coletânea de três outros livros de Rubem Alves, todos inspirados na poesia do inglês Willian Blake, A eternidade numa hora reúne crônicas que permitirão ao leitor o mais profundo contato com o que a prosa desse grande escritor brasileiro revela. Com Um mundo num grão de areia, O céu numa flor silvestre e O infinito na palma da sua mão reunidos em uma única edição, será possível compreender o quão sublime e magnífico é o mundo, a riqueza e infinitude do universo humano e toda a beleza divina – manifestada nas artes, na natureza e nas descobertas humanas – são os temas das crônicas aqui reunidas. Tocar o infinito, viajar pelo mundo irrevelado que habita cada ser humano como um minúsculo grão de areia e contemplar a beleza que as palavras de Rubem Alves capturam. Seu olhar certamente estará transformado ao final da leitura deste livro.



Hi guys! Faz tempo que não trago ilustrações aqui para vocês, né? Navegando por ai encontrei pôsteres de séries famosas que foram transformadas em ilustrações pelo artista Toshib Bagde . Achei que ficaram com um "ar" mangá, muito fofas! E gostei mais do "Flash". E vocês??


Olá pessoal! Essa semana publiquei a resenha de How I Met Your Mother no Estante 450, e fiquei analisando a complexidade de cada personagem da série. Todos eles são muito marcantes com seus defeitos e qualidades, e acho que isso é o que torna a série tão boa, eles são humanos como nós 💓

imagem: Revista Pólen


Me perco em pensamentos mais uma vez, faz bem de certa forma, posso entrar num mundo meu e esquecer tudo que está acontecendo, ignorar por completo. Lembro do primeiro dia onde tudo fora tão simples, sem rancor, sem magoa, só palavras bonitas de amor, palavras. Acreditar que poderia ter dado certo foi um erro, depois de tudo que aconteceu, sabíamos que era apenas uma questão de tempo e que o fim não tardaria, mesmo assim, me deixei levar e flutuei por entre suas nuvens, no fundo eu fui completamente errada em me deixar levar, sabendo qual seria o resultado.

Sou despertada de meus devaneios pela minha realidade, a solidão. Sozinha num mundo egoísta e hipócrita, meio sensacionalista eu sei, mas não passa da minha mera opinião. Acho engraçado o dom que as pessoas tem de piorar tudo quando já se estar pior e apesar de muitos chamarem isso de provação, eu creio que sempre vem na hora errada. Me desculpe, mas é o que acho. Certa vez me disseram que tudo tem seu tempo, eu não discordo, mas não acho justo certos minutos.

Ter em mente que se está só faz com que eu me entregue a escuridão, deixo ela me embalar e me levar daqui, talvez possa aliviar a dor, a magoa, a tristeza, talvez só aumente tudo isso, mas ela é o que me resta, então a deixo me guiar, se há uma luz no fim eu não sei, não há como saber, meu olho estão vendados pela dor em um nó triplo sem a menor intenção de soltar, talvez não deva, acho melhor eu permanecer cega para o mundo, posso evitar muita coisa assim.

Minha realidade no fim é outra, e olhar em volta e ver que nada lhe pertence, que tudo se fora, que tudo mudou, que amar vai muito alem de palavras bonitas, e que quando se entrega ao amor, você está sujeito a se magoar, e tem que ser firme para arcar com as consequências. O que parece um fim pode ser apenas um recomeço, uma nova chance, mas não se empolgue com ela ser com a mesma pessoa, vai entender o que o futuro reserva. Mas é preciso ter os pés no chão.

Chão, no momento ele não existe, mas vou reconstruí-lo, ainda não sei como mas sei que vou, tudo leva seu tempo, e não dua para sempre, "para sempre" outras meras palavras, sem firmeza e sem valor, "valor" esse que se perdeu, como tudo na verdade, mas lamentar não muda o fato, se torna apenas mais um ato, de dor, de magoa, de tristeza, um ato de incerteza e de solidão. Abrace a escuridão e deixe ela guiar a cegueira de dor, nesse mundo completamente se amor.


Olá minha gente! Não é novidade para ninguém que acompanha o blog que a Editora Illuminare abre portas para novos autores e está sempre envolvida em projetos que incentivam a leitura e a Literatura Nacional! E dessa vez não vai ser diferente, a editora marcará presença na 4ª Feira do Livro em Buenos Aires.


Olá pessoal!
Sou o tipo de pessoa que sempre tende a gostar mais do vilão do filme do que o herói, isso porque cada um tem uma personalidade única e muito marcante, todos são muito diferentes, e convenhamos, os heróis sempre seguem um certo padrão, enquanto os vilões, cada um é único.
Aqui vai alguns dos meus vilões preferidos:
imagem: Cinema Blend