Olá!! A resenha hoje é um pouco diferente. Não trouxe uma obra literária, mas um livro que, para quem tem mente que não para, certamente ajudará muito. Os mapas mentais (para negócios ou não) já estão sendo falados há algum tempo por aí, então quando vi o lançamento da Editora Cultrix, do Grupo Editorial Pensamento, não pensei duas vezes e quis saber melhor. Vamos lá?



Tony Buzan, o mais proeminente autor mundial de Mapeamento Mental, ao lado de Chris Griffiths, cofundador e CEO da Buzan Online Ltd., vai lhe mostrar como aplicar Mapas Mentais a qualquer desafio ou meta empresarial – desde o gerenciamento de projetos e vendas até estratégias de liderança. Usado por empresas do mundo inteiro, entre elas, De Beers, Disney, Microsoft e até a NASA, para criar, liderar, planejar, apresentar soluções e fazer apresentações, os Mapas Mentais podem ajudá-lo a resolver problemas, descobrir novas maneiras de trabalhar, traçar planos de negócios, reestruturar sua equipe e muito mais.


Oi geeente! Já vimos por aqui as Princesas Disney de tudo quanto é jeito, não é? Navegando por aí eu encontrei uma versão para os vilões bem realistas e como já trouxe as princesas e os príncipes desse jeito, que vocês conferem aqui, resolvi traze também os vilões . A arte foi feita pela mesma ilustradora dos protagonistas, a Jirka Vinse Jonatan Väätäinen, que começou postando suas ilustrações em seu site e elas ganharam o mundo. Olha só:



Olá pessoal!
Essa semana postei no meu blog a resenha do filme Moonlight. 
O filme me marcou muito pois trabalha com temas bem complicados de uma forma muito delicada. 
Então, pensando no post dessa semana para o blog da Juu, pensei em trazer um dos temas mostrados no filme: a diversidade sexual, já que o protagonista é homossexual. 

Pensei e fui atrás de outros filmes que também abordem o assunto, vamos conferir o que eu encontrei?
imagem: AdoroCinema
O Jogo da Imitação: Durante a Segunda Guerra Mundial, o governo britânico monta uma equipe que tem por objetivo quebrar o Enigma, o famoso código que os alemães usam para enviar mensagens aos submarinos. Um de seus integrantes é Alan Turing (Benedict Cumberbatch), um matemático de 27 anos estritamente lógico e focado no trabalho, que tem problemas de relacionamento com praticamente todos à sua volta. Não demora muito para que Turing, apesar de sua intransigência, lidere a equipe. Seu grande projeto é construir uma máquina que permita analisar todas as possibilidades de codificação do Enigma em apenas 18 horas, de forma que os ingleses conheçam as ordens enviadas antes que elas sejam executadas. Entretanto, para que o projeto dê certo, Turing terá que aprender a trabalhar em equipe e tem Joan Clarke (Keira Knightley) sua grande incentivadora. Lendo a sinopse assim você deve ter pensado: ok, e onde fica a parte da diversidade sexual? Acontece que Alan Turing era homossexual, o que na época era considerado crime, e o filme aborda esse aspecto de sua vida.
imagem: AdoroCinema
A Garota Dinamarquesa: Cinebiografia de Lili Elbe (Eddie Redmayne), que nasceu Einar Mogens Wegener e foi a primeira pessoa a se submeter a uma cirurgia de mudança de gênero. Em foco o relacionamento amoroso do pintor dinamarquês com Gerda (Alicia Vikander) e sua descoberta como mulher.
imagem: CCINE10
Azul é a Cor Mais Quente: Adèle (Adèle Exarchopoulos) é uma garota de 15 anos que descobre, na cor azul dos cabelos de Emma (Léa Seydoux), sua primeira paixão por outra mulher. Sem poder revelar a ninguém seus desejos, ela se entrega por completo a este amor secreto, enquanto trava uma guerra com sua família e com a moral vigente.
Bom pessoal, essas são as minhas dicas, espero que gostem! Se você pensou em mais algum filme, não deixe de postar sua dica nos comentários!



Título : A redoma de vidro
Original : The bell jar
Autora : Sylvia Plath
Editora : Globo S.A.
Páginas : 274

Sinopse : Dois anos antes de se suicidar a escritora Sylvia Plath,escreveu o romance a redoma de vidro, que supostamente seria uma alta biografia da mesma que não aguentando suas mazelas psicológicas acabou dando fim a sua vida.
Oi pessoas! Esse é o meu primeiro post meu nome é Monique e se quiserem​ me acompanhar é só dar uma olhadinha no meu blog euhumanaefinita eu desde já agradeço,espero que vocês gostem do post.



Sozinha a sombra da noite, deixo minha audição me guiar, ao longe ouço espirros e uma tosse forçada, talvez seja mais uma criança querendo não ir para escola amanhã, ali por entre a coberta começo a ouvir o som da noite e da solidão, um medo mais que rapidamente me abate e faz com que eu me encolha como um bebe no útero de sua mãe. Ali sozinha começo a pensar em como seria viver na completa solidão, sem nada e nem ninguém, predestina a vagar pelo mundo em busca de um preenchimento para um vazio que nunca será preenchido e que a cada segundo que passa aumenta mais, um vazio que te consome a cada passo dado. 

Talvez seja necessário viver assim, para o bem de outros, talvez não, o meu medo só aumenta só de pensar na solidão, no chegar em uma casa vazia, sem ninguém a me esperar, sem crianças a correr, nem ao meno um cachorro a latir e ter a consciência de que o único barulho que se poderá ouvir é o tilintar de talheres em um prato barato numa pequena mesa num canto pouco iluminado de uma sala vazia.

A televisão se torna uma aliada numa luta inquietante contra a mesmice e a solidão, mas com o tempo as juras ensaiadas entre Jack e Rose se tornaram sem graças e sonolentas e o seu medo tomará conta. A solidão me dominará e nada mais fará sentido, enquanto para quela família feliz do parque o tempo passará voando, para mim ele apenas se arrastará, a sensação que me passa é de que verei todos partirem como quem assiste a um por-do-sol, talvez faça sentido, talvez não, o que eu sei ali deitada na sombra da noite é que esse é o som do meu medo, os gritos mudos e ecoantes da solidão, me arrepio dos pés a cabeça só de pensar nessa possibilidade.

O sono se aproxima já posso sentir, me deixo envolver por ele, logo o medo é substituído pela esperança de um amanhecer maravilhoso, e os gritos da solidão pelos sons singulares de uma respiração calma e profunda, em pouco tempo pego no sono e esqueço por completo esse medo, medo de um futuro solitário, onde só haverá eu e minha turbulenta mente.


Olá pessoal!
A Netflix possui muitas produções originais, dentro de tantas opções, vou recomendar séries que eu acompanho.
Narcos
A trama gira em torno do traficante colombiano Pablo Escobar (Wagner Moura), retratando a história de ascensão dele de um criminoso comum para um dos homens mais perigosos, procurados e ricos do mundo. A série já conta com duas temporadas que foram focadas na história de Pablo Escobar. A terceira estreia no dia 1° de Setembro e vamos conhecer melhor o Cartel de Cali.
imagem: Minha Série


Olá pessoas, tudo bem? Olha só, quem resolveu dar as caras por aqui >.<

Desde o final do ano passado, eu resolvi diversificar mais as minhas leituras e, com isso, a inclusão de quadrinhos. Após fuçar aqui e ali atrás de indicações, eu cheguei até Ms. Marvel. Pois bem, resolvi procurar na biblioteca da cidade para emprestar os livros e assim começar a me aventurar, mal sabia eu que iria ficar viciada nessa HQ e que agora, quero comprar tudo só para deixar aqui na minha estante para todo o sempre, pois é algo que eu provavelmente vou querer reler ♥ 



Oi gente! Gostando das novas colaboradoras? Em breve tem mais surpresas aqui! As meninas são uns amores e vão trazer sempre ótimos conteúdos para vocês!


Bom, hoje a novidade fica por conta da nossa editora parceira Illuminare, que abriu novas inscrições para participação em antologias. Quem acompanha o blog sabe que já publiquei contos pela editora, que é super confiável e comprometida. Além, é claro, de ser super encorajadora para autores iniciantes. Vamos conferir os temas da vez:


A viver. Essa com certeza foi minha maior lição, acho engraçado que as vezes nos irritamos com o fato de algumas pessoas simplesmente nos tratarem como se fossemos de porcelana, mas esquecemos que as vezes nós mesmos nos tratamos assim, evitando situações e pessoas no intuito de não ter que passar novamente por certas situações, resultado? Não vivemos. Não aproveitamos, não crescemos, a parte boa? Com o tempo você percebe, cai a ficha como costumamos dizer e não pense que é tarde demais para mudar algo, lembre-se um minuto pode ser o suficiente.


Olá leitores! 

Primeiro deixa eu me apresentar brevemente: Meu nome é Cássia, e a partir de hoje sou colaboradora aqui do blog Coisas da Juu. Toda Quarta estarei colaborando aqui, espero que gostem dos conteúdos que trarei para vocês! 

Vocês também podem me acompanhar no Estante 450, meu blog. 

Hoje trago um lançamento da editora Companhia das Letras, o livro "não está mais aqui quem falou" de Noemi Jaffe. O livro será lançado no dia 17 de Julho.

imagem: Livraria da Folha
Sinopse: Os fragmentos que compõem o novo livro de Noemi Jaffe podem ser variados em sua forma, estilo e temática, mas como não poderia deixar de ser, são o resultado da forma particular e sensível com que a autora observa o mundo. Seja ao narrar um encontro amoroso, ao inquirir sobre a origem e os significados de uma palavra, seja ao imaginar um encontro improvável entre duas figuras históricas, Jaffe mobiliza um repertório rico e original no qual as fronteiras entre ficção e realidade se apagam sutilmente. Literatura e linguagem, ficção e história compõem este livro da autora que Valter Hugo Mãe chamou de "um tesouro da língua e da literatura em português".


Oi gente! Hoje tem resenha de uma leitura que demorei para trazer a resenha, mas que finalmente chegou.


Título Original: Veil of Time
Autora: Claire R. McDougall
Editora: Jangada
Páginas: 368
Ano: 2017

A medicação para a epilepsia mantém Maggie num estado permanente de torpor, mas não consegue aliviar sua dor por ter perdido a filha em decorrência da mesma doença. Com o fim do seu casamento e o filho mais velho num colégio interno, Maggie se muda para uma casa de campo nas ruínas de Dunadd, o local histórico que um dia foi a sede da realeza da Escócia. Tudo muda em sua vida após uma convulsão, e Maggie desperta num vilarejo dentro dos muros de Dunadd do século VIII. Mesmo sem saber se isso realidade ou apenas uma alucinação causada pela doença, ela é atraída pela presença de Fergus, irmão do rei e pai de Illa, uma menina que tem uma semelhança impressionante com a sua falecida filha. Mas, com as demandas do presente chamando-a de volta, conseguirá Maggie deixar para trás o príncipe escocês que já a chama de meu amor?