Hoje resolvi resenhar um livro que li há um tempinho acho que todas devem conhecer a Meg Cabot e suas maravilhosas obras (muitos best-sellers). "A garota americana" conta a história da adolescente Samantha Madison, que passa por coisas que toda jovem passa, exceto salvar o presidente do seu país de um atentado. Então, vamos lá:

Título: A garota americana
Autora: Meg Cabot
Páginas: 352
Sinopse: Samantha Madison é uma menina ruiva e rebelde de 15 anos, cheia de problemas. Filha do meio, vive oprimida pela beleza da irmã mais velha Lucy e a inteligência de Rebecca, a caçula. Para piorar, ainda está apaixonada por Jack, namorado de Lucy. Em Washington, capital dos Estados Unidos, leva uma vida muito parecida com a de tantas outras garotas de sua idade. Até que um dia resolve matar uma aula de arte e, por acaso, salva o presidente americano de uma tentativa de assassinato. Samantha logo se transforma em uma celebridade internacional. E vê sua vida virar de cabeça para baixo ao ser nomeada embaixadora da ONU, sem saber exatamente o que o cargo significa. As coisas ficam ainda mais enroladas quando descobre que aquele colega de sala bem bonitão é o filho do presidente. E está apaixonado por ela. Um romance muito divertido sobre os problemas, desejos e anseios de uma garota americana, que bem poderia ser uma típica adolescente como muitas que conhecemos.


A narração em primeira pessoa soa muito espontânea. Samantha é uma daquelas personagens que cativam o leitor. Ela tem que lidar com o fato de sua irmã mais velha ser a garota mais popular da escola, e a mais nova ser considerada um gênio. E não é fácil. Quem tem irmão sabe bem como é, principalmente se tratando de uma família tradicional americana. Além disso, ela acha que está apaixonada pelo namorado da irmã, Lucy. Observando cada movimento de Jack e achando incrível cada bobagem que ele diz. Quem nunca teve uma paixão platônica que atire a primeira pedra.
Por vender retratos de celebridades, Samantha é obrigada a frequentar aulas de artes coisa que ela abomina, boa parte por conta da influência revolucionária de Jack. Lá, Samantha conhece David, que ela logo considera fofo mas não tanto quanto Jack e é o filho do presidente!
Um dia, matando aula a sorte dela começa a mudar, porque ela salva a vida do presidente de um atirador e começa a ser considerada uma heroína, sendo indicada até como embaixadora da ONU! Se isso acontecesse no Brasil, eu consideraria três opções:
1) Retaliação do atirador ou seus comparsas.
2)Ela se machucando sério, o que não aconteceu.
3) Os próprios seguranças tomando providências
Mas, como se trata de ficção, tudo é possível, e é a partir daí que se dá o pontapé da história da menina e seu relacionamento com David. Porque não basta salvar o presidente, tem que virar nora dele! hahaha

"Acho que, até aquilo acontecer, eu ainda não tinha me ligado. Tipo assim, eu sabia. Sabe como é,  eu tinha pulado nas costas do sr. Uptown Girl e impedi que ele disparasse a arma na direção que desejava. Mas eu não me liguei que, com aquela ação, eu tinha na verdade salvado a vida do líder do mundo democrático" (pág.88)

É impossível não se identificar com pelo menos uma coisa que acontece com Samantha no decorrer da obra, é uma história envolvente, que te prende do começo ao fim, e te faz ansiar pela continuação, que eu tenho em pdf, mas quero comprar. Ler  livro de papel ainda é algo que eu priorizo. 


E a razão número um por que é bem provável que eu morra jovem:
1. Meu coração está despedaçado.
Está mesmo. Todos os sinais estão aí. Não consigo dormir, não consigo comer… nem hambúrguer. Toda vez que o telefone toca, meu coração dispara… mas nunca é pra mim. Nunca é ele.
Sei que a culpa é toda minha… fui eu quem estraguei tudo. Mas isso não torna as coisas menos piores. Se a ferida foi feita por mim mesma ou não, ela está lá do mesmo jeito. E a verdade é que os seres humanos não funcionam direito de coração partido.” (pág. 306)

Apesar de tratar de alguns temas  do cotidiano na vida de adolescentes comuns, o que me chamou a atenção foi o cuidado que Meg teve em colocar informações verdadeiras, em detalhar ruas e principalmente não "principizar" o par romântico da protagonista. Apesar de ser filho do presidente, David é um garoto comum, simples e isso encanta. A blusa #SaveFarris me conquistaria também, rs.


É claro que acontecem coisas até o final da obra, e que tudo não gira só no fato de que ela salvou alguém importante. O que fica é o amadurecimento das personagens, principalmente de Samantha. Ouvi dizer que teria uma adaptação cinematográfica, espero que aconteça.

Besos!



12 Comentarios

  1. Esse livro parece ser tão legal, adorei a dica Ju! Já coloquei na minha lista de desejados do skoob.
    http://aposasreticencias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, obrigada Bella! Não vai se arrepender, beijos!

      Excluir
  2. Oi Ju, como vai? Adorei seu blog, já estou seguindo!
    Sou apaixonada pela Meg, aliás, tem como não se apaixonar?! Fiquei muito, muuuuito curiosa pra ler esse livro. Adoro esses gêneros infanto-juvenil, é tudo de bom! ♥

    Um beijo,
    http://garota-interior.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marina, obrigada pela visita!
      Sim, esses gêneros são uma delícia mesmo, e a Meg sabe como conduzi-los.
      Beijinhos

      Excluir
  3. Oi Ju!
    Adoro esse livro
    Tao gostoso de ler ne?
    Adorei os quotes
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rízia! É sim, uma delícia! Obrigada pela visita.
      Beijinhos

      Excluir
  4. Oi Ju, quando li esse livro na época não curti muito, tinha pego uma implicância com a protagonista e as listas que ela fazia durante a narração mas agora lendo sua resenha e relembrando percebi que não odiei o livro tanto assim quanto pensava, eu tenho a continuação dele - comprei a versão vira-vira de bolso -, e você me convenceu a continuar haha. Ouvi falar que o segundo não é tão bom quanto o primeiro, mas cada um tem seu gosto então... :)

    http://nerdicesdeumagarota.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As listas me cansavam um pouco também rs
      Já ouvi dizer o primeiro é melhor, mas só lendo para saber!
      Beijos Andressa.

      Excluir
  5. Eu nunca li nada da Meg, não sei porque a autora não me atrai muito.
    Mas gostei da resenha bem detalhada e expressa bem o seu ponto de vista.
    Beijos
    ♫ Conversas de Alcova ♫

    ResponderExcluir
  6. Olá =).
    Eu já li alguns livros dessa autora e posso dizer que não gosto muito dela, apesar de ser tão elogiada. Até hoje a única obra dela que me conquistou foi A Mediadora.
    Beijos.
    Memórias de Leitura (memorias-de-leitura.blogspot.com)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. To impressionada, não sabia que a Meg tinha uma rejeição assim, não sou fã mas não sabia rs
      Primeiro que li foi "A mediadora", mas não acompanhei as sequências. Beijoooos

      Excluir