Acabou a monografia, já de férias no trabalho... liberei a resenha de hoje primeiro na minha coluna no blog Tudo que motiva, mas não poderia deixar vocês que me acompanham aqui sem. A resenha é do filme "John Wick" ou, segundo a tradução por empréstimo (coisas de quem estuda Letras, um dia explico para vocês) "De volta ao jogo." Primeiramente, devo dizer que é um filme de ação mas que mistura drama, comédia e até suspense. 

John Wick (Keanu Reeves) já foi um dos assassinos mais temidos da cidade de Nova York, trabalhando em parceria com a máfia russa. Um dia, ele decide se aposentar, e neste período tem que lidar com a triste morte de sua esposa. Vítima de uma doença grave, ela já previa a sua própria morte, e deu de presente ao marido um cachorro para cuidar em seu período de luto. No entanto, poucos dias após o funeral, o cachorro é morto por ladrões que roubam o seu carro. John Wick parte em busca de vingança contra estes homens que ele já conhecia muito bem, e que roubaram o último símbolo da mulher que ele amava.
O filme começa com uma cena final. Sempre acho arriscado esse tipo de introdução, mas quando bem feito não há o que reclamar. Não sabemos quem é John, nem o que ele faz. Apenas vemos alguns flashes de sua esposa e do seu enterro e sua bela casa. Dá para ver que ela foi alguém que o mudou e que o protagonista realmente fica arrasado com sua perda. A parte dramática do filme está no luto que ele enfrenta. A esposa de John deixa um cachorro para ele se agarrar a uma esperança, e apesar de relutar ele acaba acolhendo o animal. Quando Wick começa a se apegar, uns bandidos que ele havia negado de vender seu carro, invadem sua casa, quase o matam, levam o carro e fazem a atrocidade de matar a filhote Daisy. Mas, o que o líder dos bandidos Iosef, que é filho mimado de um chefão da máfia não sabia e nem nós, os expectadores, é que John Wick é uma lenda! 



A partir dai, o nome de John Wick começa a ser pronunciado com medo ou respeito por todos os personagens, e a pequena aparição do "peste" John Leguizamo como dono da oficina que Iosef leva o carro ja dá para sentir quem é o protagonista, as caras que ele faz quando descobre que o carro é do amigo e o soco que dá no mimadinho já começam a montar o John Wick assassino, incluindo uma fala de que "ele já matou seis homens com um lápis". Por esse motivo acho feio a tradução colocar "De volta ao jogo" como título. Tudo bem que ele retorna a suas origens, mas o cara é simplesmente o maior matador. A cena em que o chefão descobre de quem o filho roubou o carro e matou o cachorro é tipo: ferrou! O inexpressivo John começa a ganhar forma em sua busca pelos assassinos do cachorro, e chega a sorrir em alguns momentos. Keanu Reeves é um mito na atuação e eu senti que seria uma boa investida assistir ao filme porque pelo menos nesse quesito estaríamos seguros.

O filme faz uma sátira ao mundo da máfia, onde existe agentes de limpeza de sangues e corpos, e um hotel para pessoas que trabalham nesse ramo. Tudo no estilo comédia. Óbvio que não foge aos clichês desses tipos de longas de vingança, mas temos alguns momentos curiosos, como a calma do atendente do hotel quando o tiro está comendo, como se fosse muito normal, o medo instantâneo que nasce do filho do chefão conforme sente que o matador se aproxima e o amigo de John vivido pelo William Dafoe ex duende verde e  Peter Van Houten que recebe uma proposta para matá-lo e não fica claro se é isso que ele deseja fazer.

Outros personagens tentam matar o John, regidos pela proposta de Viggo, o pai de Iosef, incluindo a bela Miss Perkins. Que raiva dessa mulher! hahaha. Há também uma aparição de outra bela no filme, e eu achei até que poderia ser um futuro romance para John, mas não, não exploraram essa parte. Aliás, a recuperação que John vai ter é exatamente como deveria ter sido. Mas, shiu, não falo mais! As cenas de luta são coreografadas, e aquela velha licença poética rola solta, porque tem algumas coisas que John faz que são inacreditáveis. O protagonista também leva muitos socos, facadas, tiros e quedas de andares, mas não se deixa abater. 


A trilha sonora se intercala bem com as cenas  e o clímax do filme não é bem onde achávamos que seria, e logo surge uma nova vingança para o protagonista executar. É como se fosse um jogo de gato e rato. Mas, no fim, "John Wick" cumpre o seu papel literalmente. Deixo o trailer para vocês, e mesmo não sendo amante de filmes de ação recomendo esse aqui. E vocês, gostam desse tipo?







"Aquele Zé-Ninguém é... John Wick!"

Besos




8 Comentarios

  1. Agora estou com vontade de assistir! amo filmes assim! o trailer me interessou muito!

    beijoos :*

    Amei seu blog e já estou seguindo..
    Passa lá ? poetasdamoda.blogspot.com
    e se gostar segue?
    ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Polyanna!
      Se faz seu gênero não perca mesmo. Como eu disse, não faz o meu e eu adorei!
      Beijos

      Excluir
  2. Monografia terminada bem nas férias é um sonho de consumo!! rsrs
    Gosto de filmes deste estilo.

    bjs
    www.painelparacongresso.com

    ResponderExcluir
  3. Fiquei bem curiosa por mais que não faça muito meu estilo, vou assistir ♥♥

    Blog Babi Marchi ♥

    ResponderExcluir
  4. Eu assisti na pré estreia, adorei!! meu coração só se partiu quando mataram o dog dele :( parte mais triste p mim rs mas é muito foda, tenho que usar esse termo porque é o que define esse filme p mim rs
    beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAHAHAHA, me segurei para não usar esse termo, Mariana.
      Beijoos

      Excluir