Viver em paz para morrer em paz, Mario Sérgio Cortella

By Juliana Rovere - 10:00

Hey! Hoje é dia de resenha. Esperei muito pela chegada do livro do Cortella em parceria com a Editora Planeta. Quando chegou, tive a oportunidade de encontrá-lo na Bienal e ter meu exemplar autografado. Tudo bem que não foi tão fácil assim e rendeu um ótimo vídeo que espero em breve mostrar para vocês. Mas, vamos a "Viver em paz para morrer em paz" primeiro:

Título: Viver em Paz para Morrer em Paz
Autor: Mario Sergio Cortella
Editora: Planeta
Páginas: 176
Gênero: Filosofia, bem-estar
Skoob

Se você não existisse, que falta faria? Para responder à essa pergunta, o filósofo e escritor Mario Sergio Cortella discute o que é importante nessa vida. Não é ser famoso e nem acumular coisas e propriedades, em uma obsessão consumista. Importante é ser importante para alguém, ou seja, fazer falta para alguém. Como? Neste livro, Cortella aponta alguns caminhos e nos faz pensar sobre as razões da existência. 


Para quem não conhece, Mario Sergio Cortella é professor, filósofo, escritor e trabalhou com o Paulo Freire. Como educadora, o admiro bastante! Só que quando o conheci nem se quer mencionei o fato de que sou professora. Nervosismos à parte, esse livro não fala sobre educação. Quer dizer, em certo ponto, contando suas experiências com os filhos, o autor até nos dá dicas de como educar em determinada situação. Mas, "Viver em paz para morrer em paz" faz exatamente o que título propõe:  questionamentos como que falta você faria se morresse hoje? e Como tem vivido?  As reflexões de Cortella são tão profundas que envolvem questões existenciais que todo mundo já se perguntou um dia. Atitude, nostalgia, religião, apego, economia, ecologia, evolução, felicidade, sexo e desejo são alguns temas que permeiam o ensaio.

Eis, inclusive, uma coisa que vale para todas as relações pessoais, o que torna ainda mais curiosa aquela frase  em tom de reclamação que todo mundo ouve mais cedo ou mais tarde, aquele fatídico "quando eu te conheci você não era assim". Mas é claro que eu não era! Pois, quando eu te conheci , eu era "sem você". E, quando eu me tornei alguém "com você", passei a ser diferente pois não sou impermeável a mudanças. A convivência traz mudanças. A coerência contínua é sinal de loucura- uma das maiores características da loucura é nunca ter dúvidas, é pensar como faz e fazer como pensa. (pág. 34)



Ao debater os temas, Cortella relata histórias pessoais suas, busca a etimologia da palavra, ou seja, seu significado e joga perguntas ao leitor com o intuito de fazê-lo pensar mesmo. Ele cita grandes nomes da história mundial. E não só filósofos como Platão, mas músicos, artistas, escritores... É inegável o vasto conhecimento que o autor possui e a forma com que sua escrita flui, totalmente acessível, embora em alguns momentos até explique alguns termos. A capacidade de comunicação, de se fazer entender do autor é incrível.


Isso é felicidade: sentir-se vivo. Há pessoas que se sentem felizes ao acumular riquezas. Outras, ao zelar pela família. Outras ainda ao curtir seus livros e suas plantas (...) Quer algo mais simples do que uma criança rasgar o papel que embrulha o presente? (pág.159)

Afinal, viver em paz não é viver sem problema, sem encrenca, sem dificuldade. Viver em paz é viver com a certeza de que não está vivendo de forma morna. (pág. 12)



Se eu pudesse, colocaria aqui várias citações do livro que fui marcando com post-it. Mais do que frases de efeito, as formulações de Cortella são pertinentes. As pessoas hoje em dia acreditam que ter é ser. Mas é ao contrário: sua importância se dá pelo faz e não pelo que tem.  Me peguei pensando no que já realizei na vida e no que ainda quero realizar. Em como eu hajo em determinadas situações, em como sei que deveria agir a partir de agora. O livro não é auto-ajuda. É lição para a vida!  A diagramação está perfeita e a capa é igual a de outro livro do autor pela editora, "Por que fazemos o que fazemos." Espero que Cortella continue por muitos anos acrescentando na vida de pessoas, profissionais da área ou não, no pessoal e íntimo de cada um. Não só indico: me identifico!


Besos


PS: Meu autógrafo *-*





  • Share:

You Might Also Like

7 Comentários

  1. Olá!
    Sou fã do professor, qro mo ler um livro dle, e fico ainda mais com vontade de ler sabendo que este livro nos faz pensar na vida, em td que já passamos, faz com q a gte desacelere o ritmo em busca de um pouco de paz em dias tão conturbados.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Oiii...
    Não conheço ele mas parece que a escrita dele... não sei como explicar ...vc fica com vontade de ler quando vc lê apenas um trechinho...foi essa minha sensação... não leio muitos livro que falam sobre isso questões do dia a dia e sobre o que vc faria se fosse seu último dia de vida mas fiquei muito curiosa para ler esse livro...adorei a resenha...
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Se ficou intrigada com a escrita dele, imagina ver ele falando! Procura só! Dá gosto de ouvir!!

      Excluir
  3. Ainda não li nem um livro do autor Mario Sergio Cortella.
    Achei diferente a história do livro, em fazer o leitor refletir sobre a vida, e questões existenciais, que todos nós já se perguntamos um dia.
    Não costumo ler livros deste estilo, mas sua resenha acabou me deixando bem curiosa para ler este livro, adicionei Viver em Paz para Morrer em Paz em minha lista de leituras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal, Mariele! Sempre bom estar aberta!!
      Obrigada!!

      Excluir
  4. Olá!
    Eu não tinha conhecimento desse livro e nem do autor, mas gostei muito de por saber mais sobre essa obra é dele. A forma de como ele fez o livro, o temas abordados são bem interessante, já me deixou em estusiamanda em ler.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir