Olá, sumi essa semana porque tive uma prova de Literatura Universal que me tomou todo o pouco  tempo que tenho. Hoje então, resolvi contar para vocês um pouco de um filme que não é atual, que assisti por acaso, mas que fala de uma geração. "Dazed and Confused" revelou grandes atores. Ao assistir, eu ficava pensando se não conhecia aqueles rostos jovens.

Filme: Dazed and confused
Diretor: Richard Linklater
Elenco: Matthew Mcconaughey, Jason London, Milla Jovovich, Ben Affleck, Parker Porsey, Anthony Rapp, entre outros.
Gênero: Comédia
Sinopse: Na década de 70, um grupo de adolescentes quer aproveitar o último dia da escola, os últimos momentos de sua juventude irresponsável. Eles fazem festas e bagunça, arrumam confusão, descobrem o amor, transam, bebem, fumam maconha.



Em um primeiro momento, parece ser aqueles filmes que falam de adolescentes e seus esteriótipos. Na introdução, temos a apresentação de personagens que sempre encontramos em qualquer escola: os garotos legais (nos EUA geralmente os que jogam futebol), as meninas bonitas, os nerds, os que fumam, os valentões e os perdedores. Mas no desenvolvimento da obra, percebemos que mesmo tendo esses grupos,  as personalidades se misturam, não vemos apenas as velhas separações que conhecemos.
Com um roteiro simples, sem nenhuma pretensão além de mostrar o último dia de aula desses jovens, a história prende, ficamos com vontade de saber o que eles vão fazer e como vão aproveitar. Claro que, questões como a vida adulta que está chegando, e a pressão que alguns têm sobre suas costas permeiam a obra. O técnico que fica no pé do Pink Floyd (seria ele o protagonista?) realmente nos lembra algum momento da nossa vida em nos sentimos pressionados, mesmo fazendo o que gostamos. E essa escolha do Pink é que conduziu o filme, em vários momentos imaginei que quando ele se resolvesse é que teríamos o desfecho. E foi exatamente o que aconteceu.
O filme foi lançado em 1993, e como eu disse vários rostos conhecidos estavam começando no cinema. A Mila da franquia Residente Evil, o Ben Affleck (EU DEMOREI PARA RECONHECÊ-LO!!) e a melhor surpresa do filme: Mattew Mcconaughey. Eu já o tinha visto nesses papéis cômicos, mas as roupas dos anos 70, o cabelo e toda a caracterização do personagem de 20 e poucos anos que anda com jovens de 15, realmente foi uma surpresa e tanto. Bem diferente dos galãs que ele costuma interpretar.

"Eu fico mais velho e elas têm sempre a mesma idade" é uma das pérolas que não dá para esquecer!
Acho que o diretor nos passa bem fielmente os adolescentes da época, a temidas brigas entre veteranos e calouros. Nunca tinha visto um filme que retratasse tão bem esses trotes, do quanto os mais velhos pegam pesado e de quanto os mais novos se sentem mal com isso, sem saber para onde correr. Apesar disso, Richard nos mostra que é  possível, mesmo com toda a tradição dos trotes iniciar uma amizade entre veteranos e calouros, tanto que Sabrina mesmo tendo passado pela humilhação é convidada a sair com as meninas e o Mitch anda o tempo todo com o Pink (aliás, alguém imagina esse apelido sem nenhuma conotação sexual hoje em dia?)
O título do filme vem da canção da banda "Led Zeppelin", e a maior característica do filme é a trilha sonora. Quem me acompanha aqui no blog sabe que sou louca por soundtracks, e esse filme realmente é ótimo nesse ponto. O diretor diz que seria impossível retratar o dia dos jovens sem música. Algumas são muito conhecidas, aquele velho e bom Rock and Roll. Com nomes como: "Rock and Roll, Hoochie Koo" - Rick Derringe, "Slow Ride" - Foghat, "School's Out" - Alice Cooper, "Jim Dandy" - Black Oak Arkansas, "Tush" - ZZ Top, "Highway Star" - Deep Purple , "Rock and Roll All Nite" - KISS, "Paranoid" - Black Sabbath, entre outros.



Para quem quiser ouvir as músicas,  é só jogar "Dazed and confused - soundtrack" no Youtube que vem a lista completa, incluindo uma outra trilha que saiu um ano após o filme.
Então, é isso! Além de nos apresentar uma geração que realmente marcou, o filme (que hoje em dia é considerado Cult), traz rostos conhecidos no começo da carreira e apresenta sim, de forma viável o último dia de aula desses jovens. E nada de forma pejorativa, afinal, a maconha, as festas e as bebidas sempre estiveram presentes no cotidiano desses jovens. Li que o filme inspirou a série "That 70's show" e que a música que deu o nome ao filme só não tocou por ter sido "bem cara". Foi interessante entrar nesse mundo dos anos 70 e do Rock, e esquecer que os jovens de hoje não largam o celular e a tecnologia. Fica a dica, então. De um filme que não tem lá uma grande mensagem, ou grandes coisas acontecendo, mas que dá um certo saudosismo da geração dos anos 70 e principalmente uma nostalgia, afinal quem não lembra da primeira noitada, do primeiro porre, da primeira vez?
Besos blogueiros!










8 Comentarios

  1. Be DANZEDDDDDDDDDDDDD and COUNFUSEDDDDDDDDDDD... Filme com o mesmo nome lendario da Música do LED ZEPELIM, trilha sonora perfeita só falto alguma música da banda, mas o Robert Plant não autorizo =/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha isso mesmo! Trilha perfeita, faltando só Led mesmo.

      Excluir
  2. Me parece ser um filme bastante louco, HAHA. Tem a atriz que faz a Alice em Resident Evil♥
    Ain mds, eu amo os filmes com essa mulher! Vou ver se tomo coragem pra assistir, estou muito folgado esses dias, kkk :v
    Ótimo blog, gostando muito das postagens ;) ♥

    http://cupcakeleitor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Deve ser bem divertido. Eu adoro ver filmes um pouco mais antigos e ficar tentando reconhecer os atores.

    http://corujicesnomundo.com.br

    ResponderExcluir
  4. Sim, é muito divertido ver como esse pessoal começou gente!
    Obrigada pelos comentários, beijos!

    ResponderExcluir
  5. Parece ser ótimo! Mais um filme pra eu assistir durante as minhas férias.
    http://aposasreticencias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uhuul! Fico feliz de contribuir com a sua lista, rs
      Beijos e obg por comentar <3

      Excluir
  6. Boa tarde!!! Valeu, Juliana por ter postado um comentário sobre esse filme. Eu assisti ele faz muito tempo nos fins de noite da Globo. Acho que foi no Corujão. Logo de cara me identifiquei com a trama quando ouvi "paranoid" do Black Sabbath e vi aquele quadro do Led Zeppelin pendurado no quarto do garoto. Realmente bons tempos aqueles.

    ResponderExcluir