Olá! A resenha desta semana é para falar de um livro que sou apaixonada desde meus 13 anos: O Nome do Vento. Eu li esse livro pela primeira vez quando tinha 13 emprestado de um amigo da minha sala e também foi uma emoção muito grande porque na época ia ser o maior livro que eu já tinha lido (656 páginas) e ainda não havia lançado a continuação: O Temor do Sábio. Então eu li, o tempo passou, e na tão amada Black Friday o encontrei numa super promoção! Mas vamos ao livro:

O contexto do livro foi um grande mistério para mim até que deixei a preguiça de lado e fui pesquisar. O livro é totalmente fictício, como já é propriamente dito na capa: é uma fantasia. Mas para fins de imaginação, o livro se passa no que seria a época medieval, em torno do século XI. Tudo começa numa noite comum na Pousada Marco do Percurso onde o proprietário Kote recebe de uma hora para outra um homem que diz ter sido atacado por um demônio, o que traz um grande reboliço na Pousada, histórias e sentimentos antigos ao proprietário que no dia seguinte resolve caçar os outros demônios que poderiam estar na redondeza.

Kote sai na noite seguinte determinado a achar tais demônios que poderiam estar na redondeza, quando lhe aparece um homenzinho que lhe pede ajuda para poder ficar perto de sua fogueira, e no mesmo momento os demônios os atacam. Após isso, Kote resolve levar o tal homem para sua hospedaria por causa dos ferimentos. E quando ele acordam percebe quem foi o seu salvador, o simples Kote não era apenas um homem de uma cidade pequena, e sim, uma lenda muito conhecida pelo reino. Um homem cheio de nomes, ele era Kvothe, o arcanista, o herói, o assassino. Kvothe, o Matador do Rei. Entre muitos outros.

O homem que Kvothe havia salvo também não era nada simples. Ele era o Cronista do reino, o homem que mais escreveu histórias no mundo todo. E nesse encontro de personalidades importantes, há Bast o estudante de Kvothe . Exatamente estudante, chegarei lá. Após muitas tentativa de convencimento do Cronista para fazer com que Kvothe contasse sua história ele finalmente aceita e isso leva três dias. O primeiro livro retrata o primeiro dia. E então Kvothe irá contar sua história desde quando era uma criança.

Kvothe era uma criança da trupe dos Edena Ruh, artistas intinerante - como se fossem de circo. A vida dele começa a mudar quando ele conhece Ben em uma das viagens da trupe, que não é só apenas um homem inteligente, ele é um arcanista, o que significa que ele veio da Universidade. Os arcanistas eram estudiosos que estudavam química, matemática, medicina, mecânica, linguística etc. Mas assim de tudo, eles ensinam a tão desejada magia. Ou como eles preferem chamar: simpatias. Bem no tempo que passa na trupe ensina tudo isso à Kvothe, e o incentiva extremamente a se tornar um Membro do Arcannum devido sua inteligência. E daí em diante... Ops, não quero lhe contar spoilers (risos).

O mais difícil de resenhar um livro como esse é que o universo criado por Patrick Rothfuss é extremamente grande, havendo vários picos, vários personagens, várias pessoas importantes. É um livro com uma leitura extremamente agradável, engraçada, misteriosa e extremamente inteligente. O que me fez mais gostar do livro foi seu modo de narração. Durante as cenas na Pousada e de Kvothe adulto - e nos capítulos de interlúdio da narração de Kvothe, com as opiniões de Bast, o aluno que Kvothe ensina tudo o que sabe - o narrador é observador. Já quando ele começa a narrar sua história para o Cronista, é em 1° pessoa e a narração dele é maravilhosa! Já que eu sou uma forte amante de escritores que conversam com o leitor e Kvothe faz isso, tornando a leitura mais misteriosa e incentivando mais a opinião do autor.

O livro é tão bem escrito que Geoge R.R. Martin - escritor de As Crônicas do Gelo e Fogo e um dos maiores escritores de literatura fantástica - deixou dois comentários que estão na capa do livro: "A melhor fantasia épica de 2011" e "Devorei em um dia e já estou louco pelo próximo. Ele é muito bom, esse tal de Rothfuss". O segundo livro da saga épica se chama O Temor do Sábio.

Espero que tenham gostado. Beijoooos.


6 Comentarios

  1. poxa, gostei mesmo desse livro, adoro livros de fantasia ainda mais com um super comentário desse, fiquei curiosa pra ler.

    ResponderExcluir
  2. Quando você falou que daqui algumas semanas tem umas notícias, já pensei no lado ruim hahahah Espero que as notícias me agradem! Bom, quanto a resenha, a história aparenta ser incrível. Eu ainda não conhecia esse livro, e nem o segundo. O que me chamou atenção foi a capa, que é linda, e o mundo criado pelo autor, que aparenta ser fantástico!.

    ResponderExcluir
  3. Eu não conhecia este livro, mas gostei da sua resenha e gostei da história. Gosto de história que ocorrem no passado e que é cheia de mistério, que foi o que sua resenha me passou... Vou aguardar as novidades do blog...
    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. 656 páginas???? OMG
    Eu não consigo ler livros tão grandes, apesar de querer muito.
    Ainda quando é série a tendência dos livros serem gigantescos também não me agrada.
    :\

    ResponderExcluir
  5. Oi! Achei interessante o livro, O gênero fantasia não é um dos que mais me cativa, mas tem escritores que simplesmente me cativam, esse livro parece ser muito bom e gosto quando há duas formas de narração, acho que é uma história que vai ter um pouco de aventura e partes divertidas, não é?
    Gostei!

    ResponderExcluir
  6. Acho lindas as capas dessa série, sua resenha está muito boa.
    Depois de uma resenha super positiva sobre este livro, não tem como não ter adicionado imediatamente em minha lista de leituras, a história parece ser muito boa, pretendo ler em breve.

    ResponderExcluir