Oi gente! Hoje tem resenha de um livro especial. Ele foi a primeira publicação da Beatriz Andrade, blogueira do que participou comigo do "Bastidores: Um dia na vida de um blog literário". Conheci a Bia no lançamento do nosso livro e como uma boa fã de romance policial, me interessei de cara por "72 horas de Tensão." Vamos lá?

Título: 72 Horas de Tensão.Autora: Beatriz Andrade. ISBN-13: 9788555261459. ISBN-10: 8555261457. Ano: 2015.Páginas: 270. Idioma: Português.Editora: Autografia.Gênero: Romance policial / Literatura Nacional.Adicione ao Skoob.


Cristina trabalha como caixa em um banco e em um dia corrido recebe um bilhete que muda o rumo de sua vida, sua irmã foi sequestrada e só ela tem o poder de libertá-la, os sequestradores a querem usar em um grande esquema que envolve além de muito dinheiro, um poderoso empresário com negócios obscuros como bicheiro, envolvido com traficantes e milicianos, a quadrilha que sequestrou sua irmã, quer informações e usam Ana como isca, Cristina se vê envolvida em um perigoso jogo e não pode contar a ninguém, no entanto consegue driblar a quadrilha e conta com a ajuda de Clarice, diretora do colégio de Ana, e Ricardo um agente federal. Em 72 Horas de Tensão acompanhamos os três dias em que Cristina tenta tirar sua irmã das mãos dos sequestradores e ainda, paralelamente, a trajetória de cada um dos quatro integrantes dessa quadrilha,onde nem tudo é o que parece, até que as histórias se cruzam no grande dia em que eles sequestram a pequena Ana, quando a história se encaminha para o fim o destino faz uma revira volta na situação e o inesperado acontece, surge uma grande traição que muda o rumo de tudo, mas novamente quando as coisas parecem se acertar, Cristina se vê à beira de uma morte cruel e dolorosa sem ter como escapar.Uma trama surpreendente que leva o leitor a se envolver com a história desde sua primeira página, 72 Horas de Tensão, é envolvente e tenso do inicio ao fim e seu final guarda grandes surpresas.

Brincando com a narração, Beatriz nos apresenta, em primeira pessoa, Cristina e sua rotina no banco. Porém, de cara algo já sai errado naquele dia 05 de fevereiro de 2015: um homem diz saber informações de sua vida e de sua irmã, Ana e a ameaça. Esse homem é Carlos, que juntamente com Luisa, Carla e João planejam que Cristina realize um saque na conta de um famoso empresário. Cristina se vê sem saída, pois ama a irmã mais do que tudo e só tem ela no mundo. A partir dai, a protagonista vive 72 horas, como bem propõe o título, bem tensas. A única solução que Cris encontra, antes de deixar os criminosos levarem Ana para um fim de semana em Cabo Frio, é escrever uma carta para a diretora da escola da menina. E aí que surge Ricardo, o policial, pai de um aluno que está justamente trabalhando no caso de Silvio, o empresário.


Mas, nos explicar de onde surgiu esse "plano", a autora nos leva há 4 meses atrás, quando Carla trabalhava para Silvio, sofria abusos e de repente se vê diante da senha do banco do homem. Junto com seu marido, João, ela começa a sonhar em roubar o dinheiro do homem. Os dois, se unem a um velho casal de amigos, Carlos e Luisa. Porém, o que eles não desconfiavam é que Luisa nunca foi amiga de Carla. Então com o policial Ricardo e sua equipe na cola deles, Cristina tendo que seguir o plano como se nada tivesse acontecido, e a falsidade de Luisa e Carlos, era óbvio que a história teria uma reviravolta daquelas!

"- Ricardo, até concordo que a intenção deles não seja fazer mal a ela, a menos que eu não consiga tais informações." "- Você vai conseguir vou te dar cobertura para isso... A princípio vamos manter discrição, mas se tiver problemas com o Gerente, dou-lhe total apoio e nada lhe acontecerá." (Pág. 121/122)
"Me sento, com a cabeça apoiada nas mãos, e me permito chorar e chorar...Chego até a soluçar, estou completamente perdida, afundada em um abismo muito alto onde eu não posso nem ver o fim. Pareço cair nele, é como em um sonho, onde a gente parece estar caindo de uma certa altura." (Pág. 134)
"Agora eles estavam sozinhos em casa e precisavam planejar como fariam para "passar a perna" em seus companheiros de trapaça. Tinham um vago plano que juntos planejariam para que ficasse perfeito." (Pág. 60)
As narrações vão se intercalando entre Cristina, uma narração em terceira pessoa, Carla e Luisa. Apesar de tantas alterações, não ficamos perdidos. Ao contrário, todas as informações são perfeitamente encaixadas nos momentos certos: a descoberta de Carla, o convite a Luisa, a investigação de Ricardo, o plano em si, e os momentos finais que são bem tensos. Quando tudo parecia trilhar por um caminho, temos reviravoltas. A leitura é fluída e bem construída, com riqueza de detalhes, inclusive da cidade, como sou carioca amei as descrições do Rio e da região dos lagos, em Cabo Frio.


 Enfim, é sempre muito bom ter a chance de ler autoras nacionais, ainda mais as que conheço através de eventos tão legais como foi no lançamento. Apesar de jovem, Bia mandou super bem, porque não é fácil construir uma trama com tantos nós e amarrar todos eles ao final certinho. Não quero entregar mais, porém quem tiver a oportunidade não desperdice "72 horas de tensão". No final, eu só tenho ressalvas: a pessoa que mais sofreu deveria ter sido outra. Talvez porque eu tenha pegado uma raiva de certa personagem, e desejasse que o final dela fosse pior, mas entendi completamente o rumo que as coisas tomaram. Fica a dica para quem gosta de um bom romance policial!




Besos!


7 Comentarios

  1. Juliana!
    Nossa! Faz muito tempo que não leio um bom livro policial, embora seja um dos estilos favoritos.
    Os que li por último,, os autores perderam a mão e estragaram os enredos.
    Fiquei contente em ver uma autora nacional, nos proporcionar um leitura que apesar de intricada, traz um enredo envolvente e não deixa pontas soltas.
    “Ninguém nasce mulher: torna-se mulher.” (Simone de Beauvoir)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  2. Não tenho costume de ler livros policiais, mas gostei da resenha e pretendo ler sim. Também estou começando a ler mais livros de autores nacionais, além da capa ser muito interessante.

    ResponderExcluir
  3. Que loucura essa historia
    Imagina o que Cristina estará passando... ela ser unica que pode ajuda irmã nessa situação é uma barra que ela carregara sozinha. Fiquei curiosa em saber como ela vai lidar com essa situação. Espero ter oportunidade de ler algum dia

    ResponderExcluir
  4. Infelizmente não leio tanto livros desse genero quanto gostaria, pois quase sempre acabo me decepcionando. pela sua resenha ele parece bom, e se tivesse a oportunidade eu daria sim uma chance, só não gostei foi da capa.

    http://livrosseriesfilmesemais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. AMO romance policial. Gente que história intrigante, fiquei super curiosa para ler. E essa capa ficou demais.

    Também gosto muito de ler nacionais, temos muitos autores geniais mas muito underrated - esse meio é super difícil. Vou procurar mais sobre o livro, estou muito interessada!

    BJS

    ResponderExcluir
  6. Olá,sempre fui fascinada por filmes e livros policiais. E com toda certeza adoraria ler esse livro.
    Acho que só li apenas uma vez o gênero policial de um autor nacional... E gostaria de ler outras tramas dos nossos autores .
    Sem contar que sempre fico curiosa como esses livros terminam.

    ResponderExcluir
  7. É uma excelente leitura, meninas!
    Bjss

    ResponderExcluir